Conceito e Objectivos

Conceito

Atualmente em Portugal assiste-se a uma estagnação no número de casos de incidentes de poluição marinha intervencionados desde 2010, porém, há um aumento significativo do número de incidentes reportados desde 2013. Incidentes que regularmente são de menor escala e mais localizados quer no espaço, quer no tempo, e que requerem das autoridades nacionais um multiplicar de recursos para a necessária verificação. Assim sendo, há cada vez mais uma maior necessidade de recorrer à tecnologia de ponta para auxiliar na execução desta tarefa, sobretudo através do recurso a veículos autónomos, devido ao seu baixo custo de operação e maior eficiência. A presente proposta tem como objetivo demonstrar a mais-valia da utilização de redes de observação com múltiplos veículos autónomos no apoio aos meios tradicionais para verificação de relatos de poluição marinha reportados para as entidades locais, sobretudo no que concerne à verificação in situ por parte da Autoridade Marítima Nacional.

Esta proposta ousada e radical propõe o desenvolvimento e capacitação de veículos autónomos aéreos, de superfície e submarinos de baixo custo para operações de prevenção, monitorização, fiscalização e resposta a eventos de poluição marinha. Em atuação conjunta com as atuais ferramentas de modelação numérica, visa minimizar os custos inerentes às operações, aumentar a sua rapidez e facilitar a identificação das fontes poluidoras. Através do desenho e implementação de processos simples de amostragem rápida, este projeto ambiciona aumentar a capacidade nacional de monitorização e resposta à poluição marinha e, ao mesmo tempo, minimizar riscos, salvaguardando os ecossistemas, bens materiais e vidas humanas.

Os resultados deste projeto demonstrador permitirão uma transferência de conhecimento tecnológico e académico inovador para todos os agentes envolvidos nos serviços de combate à poluição marinha em Portugal, em especial para aquelas que atuam nos primeiros estágios de prontidão, colocando o nosso país na vanguarda internacional no que reporta a este tipo de atuação. Em conjunto com a Direção-Geral da Autoridade Marítima, serão elaborados novos mapas de ação para posterior atualização do Plano Mar Limpo, estabelecendo as condições ideais para a criação de hubs locais e regionais de uma futura e alargada rede nacional de sistemas autónomos de monitorização marítima efetiva a nível nacional. Desta forma, este projeto contribuirá decisivamente para a execução dos compromissos assumidos por Portugal a nível internacional. Antevê-se ainda que através da implementação deste projeto Portugal venha a ser considerado um exemplo a seguir a nível internacional, no que respeita à verificação in situ de relatos de poluição marinha, contribuindo significativamente para aumentar a capacidade de monitorização e resposta a eventos internacionais.

 

Objetivos

O RaMP tem como objetivo central demonstrar a utilização de veículos autónomos no apoio aos meios tradicionais para verificação de relatos de poluição marinha, sobretudo no que concerne à verificação in situ destes eventos por parte da Autoridade Marítima Nacional.
Esta proposta propõe o desenvolvimento e capacitação destes veículos para operações de prevenção, monitorização, fiscalização e resposta a eventos de poluição marinha. Visa minimizar os custos das operações e facilitar e aumentar a rapidez na identificação das fontes poluidoras. Através do desenho e implementação de processos simples de amostragem, este projeto ambiciona aumentar a capacidade de combate à poluição marinha enquanto minimiza riscos e salvaguarda ecossistemas.